O PESO AMARGO DOS IMPOSTOS DE PÁSCOA

Compartilhe nas redes!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email
img/audicons_blog/40_post_3037.jpg

Ao comprar um ovo de Páscoa de R$ 40, o consumidor paga R$ 24,58 efetivamente pelo produto e mais R$ 15,42 em impostos. A carga tributária do ovo é de 38,53% do preço final.
O levantamento da carga tributária embutida nos preços de produtos tradicionais da Páscoa [no quadro abaixo] é da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).
img/audicons_blog/40_post_2488.png

O item mais tributado é o vinho importado (69,73%), cujo imposto até supera o valor do produto. Por exemplo, por uma garrafa de vinho de R$ 150 o brasileiro desembolsa R$ 45,40 pelo produto e mais R$ 104,60 em tributos. Já o vinho nacional tem carga menor, mas ainda muito alta, de 54,73%.
Quem for viajar no feriado de Páscoa pagará 36,28% de imposto sobre pacotes de viagens. Já passagens aérea e terrestre (ônibus) têm 22,32% de carga tributária.
O consumidor que decidir cozinhar pagará 43,78% de imposto no bacalhau. E o que almoçará fora vai arcar com 32,31% de tributos. A lista foi encomendada pela ACSP ao Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT) e pode ser conferida mais abaixo.
“Os brasileiros precisam se conscientizar de todo esse peso da carga tributária, que, se não fosse excessiva, potencializaria o poder de compra da população e engataria a máquina econômica”, afirma Marcel Solimeo, economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).
Ele chama atenção para a marca recordista da carga tributária em 2018, de 33,58% do PIB, segundo o Tesouro Nacional. “Isso revela que os problemas da União não estão no lado da receita, que continuam crescendo.
Estados e municípios também apresentaram aumento da carga, mas muitos estão sem condições de pagar compromissos básicos, o que mostra que as despesas estão fora de controle e, sem uma reforma da Previdência como primeira medida no sentido de reduzir os gastos, vamos ter cada vez mais dificuldades para atender as necessidades básicas do cidadão e até mesmo pagar o funcionalismo público”.
Fonte: Portal Contábil SC

Compartilhe nas redes:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também

Posts Relacionados

Previna A Evasao Fiscal Em Sua Empresa Evitando A Bitributacao Post 1 Organização Contábil Lawini - Audicon

Bitributação do ISS: saiba como evitar!

Muitas empresas, que possuem sede em um município e operam em outro, correm sérios riscos de estarem incorrendo em práticas de sonegação e serem bitributadas. Saiba como evitar!

Recomendado só para você
Os empregadores de todo o país têm até a próxima…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top
Open chat
Podemos te ajudar? 😉